quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Dadinho - Geraldo Marçal dos Reis

Dadinho - Geraldo Marçal dos Reis, 1931, Diamantina-MG


Trabalhou desde menino com o pai, Pedro Felicidade dos Reis, carpinteiro profissional, até os 15 anos de idade. Com ele aprendeu a fazer móveis, barcos,a levantar casa. A família veio para Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro, quando ele tinha entre oito e dez anos de idade. Contratado por uma cervejaria, e depois pela Ford, construiu galpões, igreja, casas. Frequentou pouco a escola. Aos 12 anos descobre o dom para a escultura ao talhar à volta da casca espessa de uma laranja "uma família de índios com dois filhos, a mulher e ele, um bezerro do lado, um cachorro e um porco, com uma cerquinha entalhada", informou a Amélia Zaluar, que escreveu sobre ele o estudo Dadinho, o escultor de cidades (SAP, n. 71). Mas foi só em 1972 que começou a fazer o seu urbanismo em miniatura nas raízes de pequiá-marfim, que resgata de árvores queimadas no morro perto de sua casa. "Não apanho árvore que dá produção, que sobe. Quando não dá mais para ela reviver, eu apanho." Seu primeiro trabalho representou o centro de Nova Iguaçu: praça, rua principal, cinema, estação do trem, pronto-socorro, delegacia, saída para a vida Dutra. Realizou em seguida outras dez esculturas urbanísticas com essa temática. Nas raízes tentaculares, orgânicas dos trabalhos que se seguiram a este, Dadinho foi esculpindo outras visões do crescimento desordenado das cidades, descritivamente minuciosas no afeto com que, entretanto, vai detalhando casas, padarias, posto de saúde, hospital, açougue, escadarias, ruas, avenidas do mundo em que lhe foi dado viver. Suas obras encontram-se no acervo do Museu da Casa do Pontal (RJ), no museu de arte popular do Centro Cultural de São Francisco (PB).

He worked since be was a lad to 15 years old with his father, Pedro Felicidade dos Reis, a aprofessional carpenter. He learned from him how to make furniture, boats and raise a house. His family moved to Noa Iguaçu, Rio de Janeiro State, when he was around 8-10 years old. He was later hired by a brewery and then by Ford, and worked in the building of warehouses, a church and houses. He hardly went to school at all. When be was 12 years old he discovered his gift for sculpture ehen he carved the outside of a thick orange rind "a family of Indians with two children, the couple, a calf at the side, a dog and a pig,  with a carved fence", Amelia Zaluar relates in her study about him, Dadinho o escultor de cidades (SAP, 71). But it was only in 1972 when he began to create  his urban scenes in miniature on the roots of a white quebracho tree, the rescued from burned trees on the hill close are producing, growing. I collect them when they can´t revive any more."  His first work portrayed the center of Nova Iguaçu: square, main street, cinema, train station, emergency ward, police station, way-out to the Dutra highway. He then made ten other urban sculptures on this theme. Dadinho used the organic tentacle-like roots of the work later to carve other views of the disorderly spread of the houses, bakeries, health care center, hospital, butcher, steps, streets, avenues of the universe in which he lived. His work can be found in the colletion of the Edison Carneiro Folklore Museum, Casa do Pontal Museum, both in Rio de Janeiro, and the popular art museum of São Francisco Cultural Center, Paraíba State.


Fonte: Pequeno Dicionário da Arte do Povo Brasileiro - Século XX - Lélia Coelho Frota, págs. 165-166.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails