sábado, 17 de março de 2012

Eduardo Galeano - Mulheres

Mulheres - Eduardo Galeano
Mulheres  / Eduardo Galeano; tradução de Eric Nepomuceno. - Porto Alegre: L&P, 1998, é um simpático livro que aborda como tema mulheres distintas e singular , sejam jovens ou não, mas todas com a característica de surpreender pela maneira de pensar, agir. Enfim, Maravilhosas mulheres por quem o autor teve um olhar diferenciado como a querer eternizá-las em suas letras.

PÁSSAROS PROIBIDOS

Nos tempos da ditadura militar, os presos políticos uruguaios não podem falar sem pedir licença, assoviar, sorrir, cantar, caminhar rápido nem cumprimentar outro preso. Tampouco podem desenhar nem receber desenhos de mulheres grávidas, casais, borboletas, estrelas ou pássaros.
Didaskó Pérez, professor, torturado e preso por ter idéias ideológicas, recebe num domingo a visita de sua filha Milay, de cinco anos. A filha traz para ele um desenho de pássaros. Os censores o rasgam na entrada da cadeia.
No domingo seguinte, Milay traz para o pai um desenho de árvores. As árvores não estão proibidas, e o desenho passa. Didaskó elogia a obra e pergunta à filha o que são os pequenos círculos coloridos que aparecem nas copas das árvores, muito pequenos círculos entre a ramagem:
- São laranjas? Que frutas são?
A menina o faz calar:
- Shhhh.
E em tom de segredo explica:
- Bobo. Não está vendo que são olhos? Os olhos dos pássaros que eu trouxe escondidos para você.

Eduardo Galeano nasceu em Montevidéu, Uruguai, em 1940. Em sua cidade natal foi chefe do semanário Marcha e diretor do jornal Época. Em Buenos Aires, Argentina, fundou e dirigiu a revista Crisis. Esteve exilado na Argentina e Espanha desde 1973; no início de 1985 regressou ao Uruguai. Desde então reside em Montevidéu. É autor de vários livros, traduzidos em mais de vinte línguas, e de uma profusa obra jornalística. Recebeu o prêmio Casa das Américas em 1975 e 1978 e o prêmio Aloa dos editores dinamarqueses em 1993. A trilogia Memória do Fogo foi premiada pelo Ministério da Cultura do Uruguai e recebeu o American Book Award (Washington University, USA) em 1989.
Em abril de 1999, foi distinguido com o Prêmio à Liberdade da Cultura, outorgado, em sua edição inaugural, pela Fundação Lannan, dos Estados Unidos.

8 comentários:

  1. Amo Galeano. Amo esse livro. Um dos meus favoritos. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Ane,
    O livro é bem divertido, com textos bem diversificados acerca de perfis feminino.
    Um livro de leitura rápida mas não menos interessante.
    Obrigada pela visita.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Lígia, o Urbanascidades convida voce e seus leitores para o seu 2° aniversário dia 21 de março. Sarau cultural com música, literatura e poesia, e convidados muito especiais. Não perca!
    Um abraço,
    Paulo Bettanin

    ResponderExcluir
  4. Paulo Bettanin,
    Obrigada pela lembrança do convite!
    Sarau cultural com música, literatura e poesia! Excelente!
    Certamente estaremos no Urbanascidades.
    Um abraço,
    Lígia Guedes

    ResponderExcluir
  5. oi, querida Lygia, quero te agradecer o comentario e te dizer que tive a oportunidade de conhecer muito rapidamente o E.Nepumoceno no Mexico! eqto ao E.Galeano o conhecia somente pela obra jornalistica, nao conheço este livro. Deve ser muito bom, como jornalista admirava ele muito!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Myra,
    Galeano tem textos excelentes como "As Veias Abertas da América Latina", editora Paz e Terra.
    Beijos e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  7. Olá. Tenho mais de 30 frases do Eduardo Galeano no meu site, segue o link: http://quemdisse.com.br/buscador.asp . Obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Bob Marley,
    Seja bem-vindo e obrigada pelo link disponibilizado.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails