quarta-feira, 16 de junho de 2010

Aleatoriamente, só por hoje

Hoje recebi uma pergunta aleatória. Não fosse uma pergunta que aqui se fez inúmeras vezes teria passado desapercebida. Surpresa se fez. Em minha vida parece que sempre houve um ímã em que as pessoas bêbadas sempre tiveram extremo carinho por minha pessoa, e vinham fatalmente ao meu encontro (mesmo que tivessem uma faca na mão). Tinha um que exagerava, em alto e bom som na rua e em meu local de trabalho que por vezes adentrava (lógico que não me encontrava que fatalmente fugia) gritando que eu era sua filha. Voltando a pergunta aleatória, justo em um dia posterior a idéia que vinha tendo em saber o destino que daria a este espaço que considero mais um espaço de anotações, assim como em minha infância que meus poucos cadernos ao final do ano rasgava folha a folha, montava uma fogueirinha especialmente em noite fria e ficava a queimá-la. Pois bem, ontem antes de dormir comecei a folhear o livro "O Albatroz Azul" e qual surpresa ao ver que um personagem também tinha este hábito. Quão feliz roceira me senti. Na verdade nunca fui chegada a cadernos, agendas pessoais e quando iniciei o blog pareceu mesmo estranho escrever assim a mundo aberto. Voltando a pergunta, especialmente hoje que já imaginava que não posso cortar este blog em tirinhas por ser virtual mas que posso aqui relatar que fui tocada pela presença de Deus quando a pergunta que por vezes aqui brinco retornou:"Quem é o filho de Deus?" "Eu sou um filho de Deus?. Minha resposta não poderia ser nada diferente de: "você", "você é um filho de Deus". Por vezes pensei em utilizar o método AA: só por hoje não vou escrever no blog. Se não o tivesse feito, a pergunta a queima-roupa talvez tivesse passado. Mas não, ficou ecoando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails